Como lidar com a nossa carência afetiva?

padrao

Todos nós, em algum momento da vida, podemos experimentar uma certa dose de carência afetiva. Mas quando a dependência pelo amor do outro é extrema, pode acarretar em consequências sérias em nossas vidas.

A carência afetiva pode ser causada por um evento traumático ou uma situação que deixou marcas emocionais profundas e os sentimentos de abandono, rejeição e não merecimento.

Mas a mente é muito rápida para dar significado. Mais do que as nossas emoções.

Quando você diz frases do tipo: “Eu sou carente porque minha mãe me abandonou” ou “Eu não fui desejado pelos meus pais, portanto não mereço ser amado”, você alimenta ainda mais essa carência.

Por outro lado, se você não pode mudar o que aconteceu, pode escolher o que fazer daqui em diante. 

Existe dentro de nós um grande potencial de recursos que nos permite dar um significado diferente para nossas experiências, tornando-as mais suaves e menos dolorosas. 

Experimente investigar melhor essa carência afetiva, olhando para a situação que a causou de forma fria e dissociada. 

Em uma fração de segundos, a raiva ou ressentimento começarão a brotar, mas você poderá intervir se perguntando: “É esse sentimento o que eu quero carregar?”.  

Então diga: “NÃO! Eu não aceito ser refém do que aconteceu. A vida é muito curta e não vou me permitir esse tipo de pensamento!”.

Coloque uma nova lente, depois mude de posição: Cada ângulo te dará uma nova possibilidade. 

Primeiro limpe a mente, depois o emocional, pois este é muito mais difícil de limpar. Ele é como uma tinta que sai manchando tudo: Uma mágoa profunda pode causar um estrago enorme. Mas você pode banir uma ideia antes que ela ecoe no emocional.

Apenas você pode se dar o amor que procura no outro. 

Cada ser humano é como uma nota musical na grande sinfonia do universo. Ninguém pode encontrar o centro da sua vida, a não ser você mesmo. Mas se você não mudar suas ideias nada acontecerá.

Portanto, dê a si mesmo esse amor e viva de verdade a sua vida.

Luíza Lopes é Diretora do INDESP.